Tecnologia do Blogger.

Text Widget

Teste Teste Teste

feature content slider

Teste Menu 5

Pesquisar este blog

Teste Teste Teste

Teste Teste Teste

Popular Posts

Unordered List

Random Post

Teste Menu 4

sábado, 22 de agosto de 2015

ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE URBANA EM PÃO DE AÇÚCAR



ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE URBANA
Acredito que antes de sermos excelentes, devemos ao menos tentar sermos bons.

Com a evolução da sociedade, precisamos fazer as cidades mais acessíveis para respeitar aos cidadãos.

Para isso, é necessário facilitar o acesso de todos a prédios, espaços e serviços disponíveis, garantindo o direito de ir e vir, o conforto e o bem-estar, além de se respeitar os direitos iguais de todos, para que cada cidadão, com suas características, tenham as mesmas oportunidades.

Vou chamar à atenção para um tema muito importante no planejamento de nossa cidade e construções, a ACESSIBILIDADE e Mobilidade Urbana, que facilita a inclusão social.

Acessibilidade e mobilidade urbana significa permitir que pessoas com deficiência, idosos e gestantes tenham direito de ir e vir, mas também é importante reforçar essa definição com a necessidade que nossa sociedade seja conscientizada para mudar atitudes. Garantir o acesso é um dever de todos e principalmente do governo seja municipal, estadual e federal.
Em 2000 foram criadas duas importantes leis para quem necessita de acessibilidade, a Lei nº 10.048 que dá prioridade de atendimento às pessoas que a lei especifica e a Lei nº 10.098 que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade. Foi um enorme avanço estas leis porque criou no Brasil uma regra universal e uniforme que deve ser adotada por todos  os municípios sem exceção. Em 2004 foi criado um programa do governo federal chamado “Brasil Acessível” que procura estimular governos municipais e estaduais a desenvolver medidas que garantam a acessibilidade para pessoas com algum tipo de restrição de mobilidade e deficiência nos sistemas de transporte, equipamentos urbanos e locomoção publica.

Entretanto algumas cidades e instituições não cumprem essas leis, por exemplo, hoje temos um grande descaso com as calçadas de nossa cidade os investimentos são irrisórios e um dos motivos alegados pelos setores em adequar as obras é o custo, mas estudos comprovam, que se o projeto for feito adequadamente na questão da acessibilidade, o acréscimo na obra não passa de 0,01%, porque os custos se distribuem ao longo da obra, e isso vai se diferenciar de acordo com o porte da obra.

Após um esclarecimento prévio, venho me referir à nossa Pão de Açúcar, pois acessibilidade é uma coisa que está longe de ser respeitada, o que percebo é que órgãos federais como Banco do Brasil, Correios e Caixa Econômica conseguiu atingir uma satisfação nesse tema, mas o que compete à prefeitura fica bastante a desejar, por exemplo, as praças algumas tem rampa só de um lado, se sobe lá na frente não tem como descer, as calçadas algumas tem as rampas, só que nas medidas incompatíveis com as normas da ABNT NBR 9050/2004, a inclinação da rampa que dá acesso ao calçadão por exemplo não está correta. As nossas calçadas, sim nossas, pois as calçadas urbanas é de responsabilidade primária dos Municípios quanto à sua feitura, manutenção e adaptação para fins de acessibilidade, então essa coisa de restos de construção, material de construção, carros ou motos sobre as calçadas é no mínimo falta de respeito com a nossa acessibilidade.

Ouço depoimentos de pessoas, seja pessoas com deficiências ou pessoas idosas e é praticamente unânime que não saem de casa por que a cidade não oferece condições de estrutura para ir e vir, a rua da frente é um descaso, as praças não dão condições pra um cadeirante, trepida muito e não tem rampas adequadas.

Alguns órgãos, lojas, supermercados, bares, farmácias entre outros parece que pensam: têm poucas pessoas com deficiência então não preciso me adequar, dando a intenção que essas poucas pessoas, não tem direitos.
Enfim precisamos trazer a sociedade, pais e mães de pessoas com deficiência, órgãos e representações da saúde e assistência social, órgãos gestores, para discutir soluções, trazer alternativas para melhorar a condição de vida, melhorar a  auto-estima, trazer a inclusão, promover lazer, promover uma melhor qualidade de vida.

Existe uma Associação em nossa cidade onde precisamos legitimar tanto de fato como de direito, temos uma diretoria comprometida com a luta, com a nossa causa, mas que precisa do apoio da sociedade e do poder público, vamos fortalece-la, vamos contribuir pra que mais ações contribuam para o nosso crescimento.
Quanto à acessibilidade, vamos batalhar para que seja respeitada
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens mais vistas

Postagem em destaque

SÓ FORRÓ, EM CADEIA COMA SOM OOM SAT, 00H E 16H

Seguidores

Visualisações